Quaresma fora do Mundial

Anúncios

É um bocadinho nossa também

A Liga Europa que o Sevilha ganhou ontem aos coisinhos é um bocadinho do FC Porto também.
Desde logo porque fomos eliminados pelo vencedor do troféu e, pasme-se, ganhando-lhes um jogo, feito que a galinhagem não conseguiu fazer em 120 minutos. Nem sequer marcar-lhes um golo.
Depois, claro, Beto, que já fez parte dos quadros do FCP. Ontem, quando olhava para aquelas defesas, via ali toda uma nação portista a apoiar o guarda-redes português. Éramos todos nós, de azul e branco, a parar os remates do Lima, do Cardozo ou do Rodrigo.
Em terceiro lugar, porque, quando os coisinhos já perdiam na marcação das grandes penalidades, o cromo do jornalista da SIC dizia “Calma! Também no Dragão, o Benfica começou a perder nos penalties e conseguiu dar a volta!“. A partir desta afirmação (como se necessária ela fosse) todos nós nos sentimos identificados com o Sevilha, certo?
Finalmente, a curiosidade de o Cardozo ter usado uma bota de cada cor, uma delas azul, o que conseguiu arrancar um sorriso maroto ao cromo da SIC. Eu acho que foi com a bota azul que ele falhou o penalti, facto com que devemos estabelecer uma óbvia relação mística com o universo portista.
Pelo anteriormente exposto, é evidente que esta Liga Europa é também um bocadinho nossa.

10 anos, 10 meses, 10 dias

Hoje este blogue faz dez anos, dez meses e dez dias. Resolvemos assinalar a data porque, na verdade, nos esquecemos do décimo anivérsário, que foi em junho do ano passado. Estávamos ainda inebriados pela euforia do minuto Kelvin e nem nos lembrámos que o Pobo do Norte completava uma década.
De qualquer modo, também é bonito fazer dez anos, dez meses e dez dias. Isto é muito tempo. E são muitos títulos: oito campeonatos, quatro taças de Portugal, oito supertaças, uma Liga dos Campeões, uma Liga Europa e uma Taça Intercontinental. Desafio qualquer blogue vermelhusco a apresentar palmarés idêntico (podem incluir troféus Guadiana e Eusébio, que nós deixamos).
Não deixa de ser irónico que festejemos estes 10, 10, 10, no final da pior época do FC Porto, a todos os níveis, de que me lembro. Mas estamos cá para dar a volta.

O melhor treinador do mundo

Julen Lopetegui é, a partir de hoje, e até prova em contrário, o melhor treinador do mundo. Porque está no melhor clube do mundo. A partir daqui não há discussão.
Quanto ao resto, em conversa com um amigo portista, ele dizia-me hoje que esta contratação, tendo na sombra a figura de Jorge Mendes, tem todo o estilo de ser em formato pack. Vem o treinador e com ele três ou quatro jovens promissores do campeonato espanhol. Uma espécie de experimente a paella, que está a bom preço, e leve estas tapas para abrilhantar a refeição. Eu por acaso, quando isto não passava de um boato, lembrei-me que se andava já há alguns meses a falar de espanhóis. Primeiro o tal Azoye, depois o Tello…
Bem, uma coisa é certa. Os meninos do atual plantel têm já, no sábado, contra os coisinhos, uma oportunidade de ouro para comerem a relva e mostrarem ao futuro mister que merecem fazer parte do plantel 2014/2015. O timing foi oportuno, portanto.