Ó Jesualdo, viste aquele Meireles?

Aquele médio que jogou, fez jogar e marcou o golo de Portugal, ontem, na Bósnia, era capaz de ser uma grande contratação para o FC Porto. Chama-se Raul Meireles e parece que anda perdido em campo quando joga no campeonato nacional. Ó mister Jesualdo, não podíamos ir buscá-lo? Ou a alternativa será trazermos o treinador que o põe a jogar assim, Carlos Queiroz?

Fiquei muito feliz com o apuramento de Portugal para o campeonato do mundo ainda para mais com a contribuição decisiva de dois jogadores do FC Porto e participação de um contingente de ex-jogadores do tetracampeão: Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Pepe e Deco. Assim, temos a garantia de uma manchete de A Bola mais patriótica e menos… vermelhusca.

Não vi o jogo da primeira mão, mas, pelo que vi ontem, esta Bósnia era mais fogo de vista do que outra coisa. Vi ali dois jogadores de nível equivalente ao nosso: Dzeko e Pjanic. O resto era muita crença e pontapé para a frente. Sempre que conseguimos pôr a bola a rolar no lamaçal, mostrámos que estamos num patamar bem acima do dos bósnios.

O ambiente era frenético, mas veio confirmar o adágio de que “cão que ladra não morde”. Só não consigo perceber como é que a FIFA permite que se jogue naquelas condições um jogo de tão grande importância. E a agressão ao fiscal-de-linha foi incrível. Só faltou entrar em campo um bósnio e agarrar o pescoço do homem, como se vê, por vezes, em certos campos terceiro-mundistas.

E agora estamos na África do Sul, de onde Carlos Queiroz foi chutado há uns anos. Entrar pela porta grande vai saber-lhe bem.

Anúncios