Paios e poios

Ontem andámos a defecar para o jogo durante muito tempo. Atenção, quando digo “defecar” faço-o num sentido positivo, como quem se senta na sanita, calmamente, lê a revistinha da praxe e espera que algo aconteça. E ontem aconteceu um penalti, que Falcao marcou muito bem, foram acontecendo alguns lances de perigo na baliza turca e tudo corria como planeado. Até que aconteceu cagada-mor, obra de Rodriguez, que se lembrou de responder a provocações turcas. Já se sabe que o sangue sul-americano ferve em pouca água. Depois andámos algo perdidos em campo e os turcos fizeram um empate num golão, que, não sendo um paio, andou lá muito perto. Paio tivemos nós quando eles acertaram na barra. O jogo abespinhou-se e o poio do árbitro não ajudou nada. Não posso afirmar que a bola do Ruben Micael entrou (um benfiquista diria imediatamente que sim), mas conta quem viu pela TV que “dá a impressão” de que o pé do defesa turco está bem dentro da baliza quando faz o alívio. O empate não teve sabor a nada, mas foi uma bosta de um empate, porque poderíamos e deveríamos ter ganho este jogo. Agora é ganhar na Áustria e assegurar o primeiro lugar matematicamente.
Anúncios