11 thoughts on “(…)

  1. André,
    foram buscar um “Pablo Fonsieca”…
    A “birgem” nos proteja…

    Vou desligar a SportTv e vou cancelar o meu lugar anual.

    Andamos a mamar com experimentalismos, foda-se, já chega!
    Até podemos chegar ao fim do campeonato a perder, mas quero um gajo que traga os adeptos ao estádio.
    Vitórias, já tenho muitas, felizmente.
    Gostava de ter, agora, futebol, coisa que não vejo há 4 anos.
    Sim, o VP, e tal…E ganhava, e tal…E tal, e tal…
    Sim, mas era um bocejo tão grande que no dos jogos ficava com a boca da Manuela Moura Guedes.
    Agora, vão buscar uma verdadeira incógnita.
    Estaremos assim tão exauridos de tesouraria que não dá para mais do que isto?
    Um bom treinador paga-se ao fim de poucos meses, porra!!!

    Gostar

  2. Ribeiro, não sei se apanhaste a ideia de irem buscar este gajo, porque é todo um “statement”.

    Tem ampla experiência a treinar miúdos, tendo sido duas vezes campeão da Europa com as selecções jovens de Espanha. Se contratarem este manfio, é óbvio que pretendem fazer a tal revolução no plantel usando matéria prima da equipa B. Asneira, porque a nossa B não tem a qualidade que muitos julgam.

    Não sei como se não pode aprender nada com a cabal lição desta temporada…

    Gostar

  3. André não creio que seja só isso, é espanhol, fala espanhol, treinou miudos espanhóis, e foi campeão com os putos espanhóis, pode integrar melhor as promessas mexicanas, colombianas, etc., só consigo ver aí a utilidade. Não parece ser uma má aposta.

    Gostar

  4. epa agora que estou a pensar, também é bom o treinador ser espanhol, a imprensa tem mais respeitinho a um zé de Espanha do que a um zézinho cá do sítio. E vejam lá que foram buscar um das selecções espanholas, muito conhecimento de prospecções, e muitos favores devem estar a dever-lhe. Não acho mal a escolha.

    Gostar

  5. “Ambos os dois” têm razão, penso eu.
    Viver com o que temos, na minha filosofia de vida, é a via correcta a seguir.
    Os clubes europeus estão, na sua maioria, parados quanto a investimentos (tirando os do petróleo, um ou outro alemão).
    Assim, a era das vendas milionárias pode ter terminado.
    Temos por isso que recorrer ao “baratinho”.

    Não quero tecer juízos de valor sobre o homem, não conheço o trabalho dele. Penso que lhe é favorável o facto de ter passado, quer como jogador, quer como treinador por grandes clubes (Real, Barça).
    Tudo o resto, como dizia o Forest Gump, “is a chocolate box”.

    PS. Há aqui um factor que pode baralhar bastante as contas. O “chiclas”, caso ganhe a Liga Europa, dificilmente resistirá ao apelo de um clube Inglês.
    Ele sonha com isso todos os dias.
    E aí, também o SLB estaria a recomeçar (adicionando possíveis vendas de um ou outro jogador no verão), tendo no entanto uma base melhor que a nossa.
    Aguardemos.

    Gostar

  6. A questão da língua é coisa de somenos, comparado com o perfil de treinador de sucesso de camadas jovens. Era bom para a B. Não me parece que seja possível fazer um plantel competitivo usando a malta da B. Há aí muito wishful thinking do adepto portista. Tirando uma ou outra possibilidade, não vejo lá qualidade para aquilo que almejamos. É preciso refazer o plantel da equipa principal e não vejo outra saída senão o reforço no mercado. Terá de ser bom e barato, trabalho que já fizemos mais vezes e teremos de reeditar.

    O Chiclas dificilmente sai do Benfas. É o 8º melhor pago do mundo, se não estou em erro, e termina contrato no ano que vem. Nestas condições, ninguém vai querer pagar uma clausula de rescisão.

    Gostar

  7. Mero wishfull thinking, quem eu gostava era do Van Gaal… Adiante, a solução não é má se o novo projecto for acompanhado por uma novo paradigma. Este treinador poderá ampliar o aproveitamento de jovens talentos, algo que o FCP precisa urgentemente. Há quanto tempo não surge um jogador da formação na equipa principal que seja bom ? É urgente refundar a mentalidade Porto. A política de contratar promessas relativamente caras para as valorizar e vender de imediato, deu os seus resultados mas essa política está a corroer a alma do clube. Há uns anos era impossível ver um jogador do Porto a falar do seu descontentamento por não jogar ou por não ser vendido na imprensa. Agora temos Quinteros, Defours e Jacksons sempre a expressar em nome próprio ou através dos empresários a “tristeza” e o “descontentamento”. A maioria de nós, adeptos, faria um pacto com o demónio para poder ser jogador profissional do nosso clube, essas abéculas andam sempre deprimidas….. Correr com essa gente e acabar com isso já.Até porque eu suspeito que há pessoas na própria direcção do Porto que ganham comissões com as vendas e se calhar alimentam essas notícias… Podem ter as suas legítimas aspirações de jogarem em Espanha e Inglaterra, mas bico calado que não gostamos de ser tratados como trampolim assim tão descaradamente….

    Em termos táticos, o modelo futebol total do Barcelona do Guardiola esgotou-se. O modelo antagónico Mourinho, cujo declínio na carreira é evidente, de sacrificar a criatividade e minimizar os erros apenas com o resultadismo em mente também não agrada. Daqui a uns anos diremos que vimos o Barcelona do Gaudiola a jogar, conforme vimos o Milan do Gulit e do Van Basten ou a Agentina do Maradona, mas nunca falaremos do Inter do Mourinho…. Como tal, um treinador que se precupe, principlamente nos jogos no Dragão em jogar um futebol atrativo de ataque continuado e que obrigue a equipa a dar tudo até ao fim. A sensação que se teve do FCP a jogar em casa esta época é que depois do golito acaba o jogo e começa o treino…. Jogos de 5-3, 4-2, precisam-se para aumentar as assistências e marcar a memória das pessoas….

    O Benfica tem uma equipa muito forte, não nós deixemos enganar. Conforme nós com o Falcao, o Hulk, o Moutinho e o James pulverizamos tudo, o Rodrigo, o Garai, o MArkovich e o Gaitan fizeram o mesmo este ano com o Benfica. O scouting deles melhorou muito. Como aquilo é um poço sem fundo podem bem vender apenas um dos jogadores supracitados e manter a espinha dorsal da actual equipa. Se assim for, partem como favoritos para a próxima época e nós temos que ter paciência. Arranjar jogadores para substituir o lixo que recentemnte adquirimos e algum que há muito tempo anda a feder ( Licá, Josué, Carlos Eduardo, Defour, Abdolaye, Varela.) não vai ser fácil. A minha desilusão com o Paulo Fonseca passou mais pela sua falta de discurso. Da confiança cega à cegueira total, do Bayern a Valência. Mas nenhum treinador com a equipa que lhe foi dada faria melhor. Ao novo treinador tem que ser dado tempo e paciência e não exigir resultados imediatos. Depois, cada vez mais penso que ter um bom preparador físico, o modelo de jogo que se escolhe e pôr os jogadores certos nas posições certas é a arte da coisa. O Jesus é um parolo ignorante semi-analfabeto e em planteis com 2 e 3 portugueses mas com bons jogadores, com sérvios, croatas, belgas e sul americanos, conseguiu pô-los a jogar bem à bola e valorizá-los. Não foi com certeza com os seus dotes oratórios, académicos, filosóficos… O homem percebe “de bola”. Ponto final.

    Gostar

  8. Não concordo com o Marco. Jesus percebe pouco de bola. Sempre que teve de inventar o Benfica acabou goleado. É bom a motivar, adaptar e fazer crescer jogadores. É péssimo estratego. E, mais uma vez emprenha pelos ouvido e vista quem quer. Se nos afastarmos e analisarmos o que o Benfica investiu e o que colheu, chegamos à conclusão que Jesus foi muito incompetente. O que outros não fariam com metade daquilo que ele teve. É natural que o presente momento ofusque o percurso confrangedor do mestre da chicla, até porque o adepto tem a memória de um peixinho doirado com amnesia. Já ninguém de se lembra de como Jesus perdeu dois campeonatos para Vítor Pereira, e da humilhante época frente a Villas Boas, tendo um plantel com qualidade que lhe permitia ripostar. Já ninguém se lembra dos plantéis queimados, que chegavam a fevereiro e davam o badagaio, com a insistência nos mesmos 14. Já ninguém se lembra do caso Cardozo, nem de como iniciou a época 2013/14, com o galinheiro às moscas e toda a gente desejosa de ver Jesus pelas costas, nem dos 5 pontos de atraso que chegou a ter para a equipa de um tal de Paulo Fonseca. Na Champions foram tratos de polé, com humilhações diante do Olympiakos.

    Jorge Jesus chegou à Luz há 6 meses. Com um FCP em putrefacção e o SCP em construção, foi facílimo jogar pelo seguro e ter uma gestão segura do esforço da equipa, também recheada de excelentes soluções (como sempre teve, excepto na lateral esquerda). Na Liga Europa foram apanhando o habitual refugo e quando se toparam com a Juventus, passaram à custa de paio, porrada e ciganice. Brilhante!

    Não há nada mais situacionista do que a análise do adepto de futebol. Pela minha parte, lembro-me disso tudo. Por isso, reitero que acho Jesus um treinador francamente limitado e nunca o quererei ver à frente do meu FCP.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s