Um começo que sim, senhor

A pré-época tinha deixado água na boca e todos esperávamos um primeiro jogo a sério consentâneo com as expectativas criadas. E aconteceu. E logo com um herói improvável: Marega. Prometo que vou deixar de me referir ao Moussa em tons satírico-jocosos. O homem fez dois golos numa goleada de 4-0, que mais poderíamos desejar?

Foi um desempenho muito bom, com a equipa sempre em rotação alta até ao último minuto. Que diferença para o passado recente, em que os jogadores se encolhiam após o 1-0, espelhando a atitude medrosa (e merdosa) de um treinador sem rasgo nem categoria.

O Record juntou as vitórias do Porto e dos coisinhos sob o mesmo título: “DEMOLIDORES”. Só para rir, de facto, equiparar uma goleada de 4-0, com a qualidade de jogo que se viu, a uma vitória por 3-1 que contou com a ajuda de quem não quis pôr a funcionar o vídeo-árbitro para validar um golo limpo ao Braga. Para ficar tudo na mesma, mais vale acabar com esta palhaçada desta tecnologia que, pelos vistos, não funciona em caso de prejuízo (justo) dos coisinhos.

Anúncios