Eu, norte-coreano, me confesso

Passei parte dos últimos dias a pensar como foi possível que uma empresa como a Samsung usasse uma infeliz e fútil blogger de moda para promover os seus dispositivos móveis. Achei que a tristemente celebrizada “Pepa” era o grau zero da inteligência. Mas hoje li uma crónica publicada no Expresso.pt em 17 de Janeiro e mudei de ideias – o benfiquismo militante é uma doença neuro-degenerativa mais grave e autor desta coisa é um caso clínico sério – não é à toa que este texto faz parte de uma conjunto de escritos agrupado sob o tema “Série “O Benfiquista Terminal”.

A prosa de Henrique Raposo tem como título “Última hora: o golo de Matic faz disparar o PIB” e tudo indicaria tratar-se de uma imensa ironia. Pois bem, não é. Tal como o vídeo da Pepa, que pensei tratar-se de humor tipo Gato Fedorento, o texto do Raposo é um equívoco, uma longa sinfonia de lugares comuns, rancor, má fé, xenofobia e alucinação. Só que no lugar da mala Channel que a parvinha ambiciona comprar em 2013, temos o valor redentor do golo do médio do Benfica, que na alucinada idiotia deste benfiquista anuncia a inevitabilidade de um título de campeão para os lados da Luz. Confusos?! Eu explico.


“Aquele golo tem de ser descrito no plural: são e serão sempre seis linhas rectas unidas pela fé e pela memória. Daqui a 20 anos, várias conversas regadas a cerveja e rodeadas de cascas de tremoços começarão com o “lembras-te daquele golo do Matic quando fomos campeões em 2013?”.”


Os primeiros sinais da demência são a confusão e os lapsos de memória. O Raposo confunde um empate comprometedor com uma vitória promissora. De permeio, acha que o SLB foi campeão “em 2013”. Amigo Raposo, apesar do site da Liga Portuguesa de Futebol Profissional ser conhecido por inventar golos do Benfica que nunca foram marcados, atribuindo vitórias que não conquistaram, a verdade é que, segundo eles, o organizador da prova, o campeão de 2012 foi o Futebol Clube do Porto. Sim, o clube dos que costumais tratar carinhosamente por “tripeiros” ou “murcões” e que na tua brilhante prosa designas por “norte coreanos”. E, claro, o de 2013 ainda não foi atribuído, por muito que as almas benfiquistas estejam habituadas a isso (e “isso” quer dizer vencer o campeonato no verão precedente…).


“Cresci com o Benfica a ser esmagado pela agremiação norte-coreana. Há uns 10 anos, se levasse um golo logo aos 5 minutos, o Benfica sairia do estádio com uma goleada. No domingo, vi uma coisa diferente, vi o Benfica dar a volta frente aos norte-coreanos. E isso é uma ruptura epistemológica, pá, é o mesmo que ver uma bola subir uma rampa sozinha, desafiando todas as regras da gravidade. A equipa aguentou-se, virou duas vezes o resultado e podia ter vencido com toda a justiça.”


É bom saber que o benfiquista assanhado e o prosador jornaleiro têm como objectivo plausível para os jogos com o Porto não serem goleados.Isso define a “grandeza” da dita agremiação. E talvez isso explique o que o Raposo diz: o SLB “virou o resultado” e logo “duas vezes”. E caso não tivéssemos compreendido o brilhantismo do raciocínio, refere que “deu a volta”. O que não se compreende é que, tendo “dado a volta duas vezes”, não tenha “vencido com toda a justiça”…

É um dos nossos

Calma, anti-liedsonianos militantes. O Liedson chegou ontem à cidade do Porto. Não chegou ao FC Porto. Nada nos garante que não esteja a caminho do Boavista, que conta nas suas fileiras com alguns dinossauros do futebol português (Fary, Petit, Frechaut, Zé Manel, …). Eu acho que o João Loureiro está na jogada.
Agora a sério, que é que vocês têm contra o Liedson, coitado, que até abdica de dinheiro para jogar na Champions League? O facto de, no passado, ter disputado com João Vieira Pinto o título de “rei do salto p’rá piscina“? Ou a sua postura muito pouco profissional em campo, como ficou patente em dezembro desse mesmo ano, em Braga? Ou a entrada badalhoca sobre o Helton, em janeiro de 2008, que podia ter atirado com o nosso “Messi dos Guarda-Redes” para a mesa das operações? Caramba, vamos dar uma oportunidade ao levezinho, tal como demos aos Maniches e aos Moutinhos deste mundo, jogadores que se fizeram Homens no FCP e nele aprenderam o verdadeiro sentido da vida. Liedson ainda vai a tempo. Agora é um dos nossos.

O dilema: Liedson vs. Walter

Numa altura em que se dá quase por certa a transferência de Liedson para o FC Porto, confesso que me ocorrem sentimentos contraditórios. Se, por um lado, reconheço no ex-Sporting uma qualidade acima da média, um jogador que sabe como poucos posicionar-se na área, iludir os defesas, ser perspicaz e letal, por outro, vejo com muita apreensão a entrada no plantel de alguém com 35 anos, sabendo-se, à partida, que nunca será solução a médio-prazo.
Depois, há Walter, um jogador que alia uma capacidade técnica tremenda a graves problemas em controlar o seu peso. Melhor que Kléber, penso que não há dúvidas que será. Agora, em que estado físico nos chegaria o Bigorna?
Tendo como ponto de partida esta espécie de dilema, convido os estimados leitores a participarem na botação, aqui mesmo ao lado, na barra lateral. Quem gostariam que ocupasse o banco, como alternativa a Jackson Martínez? Um levezinho de 35 anos? Ou um pesadinho de 23?

Cão raivoso

Confirmou-se tudo neste jogo. O Benfica não tem equipa para nós. Nós não temos alternativas consistentes. João Ferreira não cumpriu as leis do jogo em nosso prejuízo. Resultado: não perdemos, fomos mais equipa, mas podia ter-nos corrido mal.
Como muito bem disse o meu amigo poncio, “Maxi Pereira pode fazer tudo o que quer em campo que ninguém o expulsa“. Não vou voltar aos lances mais evidentes, as faltas violentas que a opinião benfiquista classifica de “excessos”. Apenas lembro um aspeto que ainda não vi ninguém realçar: aos dez minutos, o uruguaio já tinha tido dois comportamentos incorretos para com o árbitro auxiliar, protestando de modo veemente as suas decisões. Se à primeira, podemos aceitar que o árbitro fosse tolerante, como foi, à segunda deveria ter mostrado o amarelo. Já vi jogadores do FCP serem expulsos com segundo amarelo devido a protestos.
Maxi Pereira é aquele jogador que, nas duas últimas épocas, nunca reconheceu ao FC Porto mérito na conquista dos campeonatos. Há declarações suas, vergonhosas, sobre a equipa do FCP, sobre os seus profissionais, sobre os árbitros. Procurem-nas e revejam. Por isso não me espanta esta maneira de jogar contra nós, esta fúria de cão raivoso a quem tiraram o osso.

A quente

O jogo teve início com 2 fora de jogo mal assinalados – no primeiro, Defour estava isolado. Lances que não tiveram lugar nas repetições, quer ao intervalo quer no final.

Maxi Pereira pode fazer tudo o que quer em campo que ninguém o expulsa – isto não é coisa de hoje e vai continuar a acontecer em nome “da verdade desportiva”. Aquela entrada de artes marciais sobre o Moutinho é vermelho direto. Minutos antes, o amarelado Matic ficou em campo apesar de ter feito uma falta por trás que “matou” um contra-ataque. VP esteve muito bem ao sublinhar isto.

Ao Luís Freitas Lobo só lhe falta o cachecol dos NN, porque os comentários aos lances perigosos do SLB transpiram sempre excitação. Quando lhe perguntaram pela arbitragem, disse que foi “um grande encontro entre duas grandes equipas”. Pois, o JJ também achou que o João “Pode ser” Ferreira fez uma boa exibição…

Conta-me histórias

O historial começa a valer pouco para os lados da Luz. Sinal dos tempos! Hoje vi um Jorge Jesus a desvalorizar os registos dos confrontos entre as duas equipas e a dizer “O presente é que conta“. Como as coisas mudam! E aquela de invocar os 12-3 de 1943? Demência ou desespero? Vi-o ainda irritado a responder àquela questão das quatro frentes como se fosse a mesma coisa dizer “Ainda estamos em todas a frentes” e “Fomos eliminados da Champions, mas felizmente fomos repescados para a Liga Europa”. Desde já, o meu aplauso para Vítor Pereira pela serenidade com que enfrentou este ping-pong com o treinador da chicla. E amanhã até os comemos.

Nobidades

Likes

Segundo O JOGO, “Kleber já visitou Neerpede” – espero que goste e que fique por lá. Já deu para ver que este rapaz não tem o que é preciso e não vale a pena chover no molhado. Cada um tem o Kardec que merece…

“Souza agradece a Pinto da Costa” – outro rapaz com mais vontade do que talento. Não era mau, não era bom. No Brasil vai ser um herói. Boa sorte.

A frase do VP em resposta à fanfarronice do JJ, que diz que o SLB está em todas as provas: “não conheço o adversário do Benfica na Champions”.

Sinais de alarme

Li algures que um jornal holandês noticiou o alegado  interesse do Porto no “flop” sportinguista Labyad. O russo tem 30 anos, parece estar sempre lesionado mas já mostrou serviço. Este jovem nem nos calimeros é titular e viria para cá fazer o quê? Engrossar a equipa B e a folha de pagamentos?

A fechar

O VP diz que “Izmailov anda feliz”, o que quer dizer que já anda e não deve mancar… Está pronto para jogar na Luz e “fazer de James Rodriguez”.