Ano Mariano

Estou à vontade para escrever isto, porque já o critiquei muito no passado, mas gostava mesmo que este 2011 fosse o ano de Mariano Gonzalez. Nunca fui jogador de futebol, mas não me consigo imaginar dez meses impedido de fazer o que mais gosto na vida, seja por que razão for. Neste caso, o regresso daquele que ainda há dias um locutor de rádio apelidava de “patinho feio” (porquê insistir nestes epítetos?) assume especial significado porque ele é dos mais antigos no plantel e Villa-Boas não se cansa de elogiar as suas qualidades humanas. A sua inscrição na Liga é também uma prova, mais uma, de que o nosso clube não deixa cair ninguém e sabe retribuir a dedicação e o profissionalismo dos seus jogadores. Como sempre soube. Para Vítor Baía ver.
Anúncios