Erros meus, má fortuna, árbitro ausente

Uma derrota em Alvalade à terceira jornada não põe nada em causa, mas é um revés difícil de digerir, nas condições em que aconteceu, e numa altura em que – após seis pontos nas duas primeiras jornadas, a qualificação para a Champions, o empate dos coisinhos e a vinda do Óliver – uma onda de entusiasmo se começava a construir à volta desta equipa.

Hoje em Alvalade foram evidentes duas coisas:

  1. A tremenda falta de qualidade do árbitro, que não estava preparado para o ambiente do costume naquele estádio e, por isso, não teve, ou não quis ter, a coragem de aplicar as leis do jogo. E se as tivesse aplicado, o Sporting nunca daria a volta em dez minutos e nunca acabaria o jogo com onze jogadores. Como diz Nuno Espírito Santos, nem é preciso ver as imagens. São as cotoveladas e são ações de classe do melhor andebol. O árbitro foi dando o ar de uma ilusória autoridade, distribuindo seis cartões amarelos pelos de Alvalade, mas nunca o vermelho.
  2. A demonstração de que os problemas do nosso plantel desequilibrado ainda não foram resolvidos. Para além do erro de re-casting que é a inclusão de Adrián Lopez no plantel (um verdadeiro mistério), para além da insistência em fazer de Herrera a referência do meio-campo quando não passa de um jogador mediano, damo-nos conta da gritante falta de extremos (longe vão os tempos de Drulovic, Capucho ou Edmilson) e da super-abundância de médios com características muito semelhantes. Hoje, quando saiu Corona, que estava a portar-se muito bem, que extremo tínhamos no banco para o substituir? Varela. Acho que não é preciso dizer mais nada.

Era importante, hoje, ter vencido em Alvalade (no mínimo, assegurado um empate), o que, aliado a um setembro relativamente acessível no campeonato (guimarães em casa, tondela fora e boavista em casa), poderia dar-nos um embalo importante neste início de campeonato.

Anúncios

2 thoughts on “Erros meus, má fortuna, árbitro ausente

  1. Mas que falta de qualidade? Irra que esta falta de noção só mesmo nos nossos adeptos. O Tiago Martins é um anti-portista primário, um lampião fanático, com histórico de expulsar 3 jogadores da B num jogo em que até o Record achou palhaçada, de meter na gaveta um penalty do tamanho dos Clérigos sobre o Jackson em Coimbra, de perdoar uma expulsão e penalty ao Luisão frente ao Estoril..

    Toda a gente sabe ao que ele vem, e por isso mesmo passou de incógnito a 4º classificado da 1ª Liga. Só mesmo os adeptos do Porto, e esta Direcção ridícula é que continuam a dormir.

    Gostar

    • Caro João, jogamos contra 12 muitas vezes – aliás, na minha história pessoal de adepto do Porto terá sido provavelmente a maioria das vezes. Quando se refere “falta de qualidade” têm-se em conta a ausência de extremos que “acrescentem” algo ao jogo e de um ponta de lança que não seja de grande dimensão apenas em altura… Quem viu um Adrian Lopez fresquinho a perder as 3 jogadas em que encarou um João Pereira com o jogo inteiro nas pernas (e a dada altura um amarelo) percebeu o que vale aquele gajo. É isso que está em causa.

      Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s