O travo azedo deste final de 2015

Terminar o ano com uma motivadora derrota em casa com o Marítimo, em vésperas de visita a Alvalade, não podia ser melhor. Em princípio, ser eliminado da Taça da Liga – como será o mais certo – não deveria constituir motivo de preocupação para nós, adeptos, que sempre ouvimos os nossos dirigentes, com Pinto da Costa à cabeça, desvalorizar a competição, até fazer chacota da mesma. Portanto, não deveríamos exigir a Lopetegui aquilo que a SAD não exigiu aos treinadores anteriores, não é verdade?
O problema é que a conjuntura é totalmente diferente: não ganhamos nada há dois anos, a equipa é muito irregular nas exibições e no grau de empenho que coloca em cada partida, as opções do treinador são muito discutíveis e, apesar de irmos em primeiro no campeonato, qualquer contrariedade faz transbordar o copo da paciência dos adeptos. A imprensa vermelhusca faz o seu trabalhinho: aproveita e saca dos títulos tipo “humilhação no Dragão”. O que nos resta agora? Ganhar em Alvalade, porque uma derrota fará precipitar tudo.
Da minha parte, encerro aqui mais um ano de publicações. Desejo a todos os leitores do Pobo do Norte um ótimo 2016, cheio de saúde e bom humor. Vêmo-nos por aqui.
Anúncios

5 thoughts on “O travo azedo deste final de 2015

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s