Farto

Estou a modos que um bocado farto de Lopetegui. Eu que fui um seu grande defensor na época passada. Eu que lhe dei tantos descontos pelos desaires na época passada. Eu que lhe dei um voto de confiança para esta época. Acho que chega. Já chega de Lopetegui. Nem estou interessado em saber se hoje fez bem ou mal as substituições, se armou o melhor onze, se fez muitas ou poucas modificações em relação ao jogo anterior. Para mim, é rua. Lopetegui é um “pé frio”. Não tem carisma. Atrai o azar. Descontrola-se no banco. Transmite isso aos jogadores. Pode ter muitas qualidades persuasivas nas sms e telefonemas que faz para reforçar o plantel com craques de Espanha, mas de futebol não percebe grande coisa. Depois de ganhar aos coisinhos, a quatro minutos do fim. Depois de ganhar à rasquinha à pior equipa dos bermelhos deste século, equipa que veio cá em busca do empate (e por pouco que o conseguiu), empata com o penúltimo classificado. Empata com a equipa que em cinco jogos tinha feito um ponto. Um plantel destes, um conjunto de jogadores tão valioso. Como é possível? É um treinador fraco, para mim basta, e só espero que André Villas-Boas esteja pronto para reassumir o seu lugar. E pode ser já em janeiro, independentemente de irmos em primeiro ou em terceiro com dez pontos de atraso.
Anúncios

5 thoughts on “Farto

  1. Eu só pergunto ser era necessário chegarmos aqui, mais uma vez. Não teria sido melhor fazer a pré-temporada com outro treinador, aproveitando as mudança profundas no plantel?

    Ninguém no nosso departamento de futebol, na SAD, alguém que veja bola há uns anos valentes, se apercebeu de que o modelo de jogo de Lopetegui é um disparate que amputa a equipa do seu potencial, apesar de um ano de amostra para analisar? A equipa sempre exposta defensivamente por circular a bola demasiado próxima do nosso meio campo? Laterais e extremos em linha? Ausência de jogo entre linhas adversárias, com o 8 e 6 pisando os mesmos terrenos nas manobras ofensivas? Ponta-de-lança muito isolado no meio dos centrais adversários, nunca servido pelo meio? Fala-se na ausência de um 10, mas pouca diferença faz nesta forma de jogar, porque o meio-campo apenas serve de pivot à largura e para intervir (mal) na primeira fase de recuperação.

    Resumindo, neste ano está tudo igual:
    – Falta de profundidade
    – Ausência de jogo entre linhas
    – Fragilidade defensiva
    – Inoperância do corredor central
    – Mentalmente a equipa parece fraquinha

    Como já escrevi inúmeras vezes, Paulo Fonseca está vivo, fala Espanhol e tem um plantel de luxo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s