Estamos bem, obrigado.

Ainda não sei o que me irrita mais: se a berraria em torno do “imparável Sporting”, se a masoquista afirmação do Orelhas que alegou até ter sido melhor vencer o Gil nos descontos…

Mas tudo isso passa quando olho para a nossa equipa em campo e os vejo, sem elogios balofos da imprensa nem grandes títulos sobre as nossas aquisições, a vencer com naturalidade. Sim, fui um dos que não gostaram particularmente da fraca exibição no batatal de Setúbal, mas sou o primeiro a assumir que o FCP desta época me motiva um enorme sorriso. E já explico porquê.

A primeira razão prende-se com o facto de, ao contrário do que aconteceu no ano passado, existirem alternativas aos atuais titulares. Sobretudo, alternativas credíveis no futuro imediato, mas com potencial de crescimento. A segunda está ligada à forma como, de entre os supostos reforços, serem 2 dos menos sonantes quem ganhou lugar na equipa e, melhor do que isso, quem tem justificado as oportunidades. Em terceiro, e excetuando alguns momentos da jornada inaugural, a equipa atuar como um bloco, coesa, sem permitir grandes surpresas aos adversários – isto foi visível, a espaços (claro), até na pré-temporada.

Quanto ao que não gostei: da falta de “coragem” do nosso treinador em Setúbal – o belga estava a ser o melhor e o Lucho estava a fazer uma exibição paupérrima, mas quem saiu foi o Defour; no jogo de ontem, apesar do esforço, Defour complicou, demonstrou desgaste logo no início da segunda parte e… ficou em campo até ao fim! Mas o que me deixou mesmo aborrecido foi o excesso de malabarismos que nos impediu de golear e, em especial, a forma como o Jackson aborda alguns lances (onde, para lá de algum egoísmo, transparece o mesmo tipo de atitude displicente que motivou o falhanço do “penalty à Panenka”). Se o nosso treinador os tivesse no sítio, retirava o gajo de campo ao fim de 2 ou 3 habilidades inconsequentes e dava minutos e animo ao argelino. E explicava-lhe que, mesmo com o Quintero em campo, existem mais 9 gajos não colombianos a quem pode passar a bola…

Em suma, apesar dos reparos, as perspetivas deste arranque são ótimas e podem até melhorar já no próximo fim-de-semana, aconteça o que acontecer no jogo de Alvalade, desde que façamos o que é normal em Paços de Ferrreira (a julgar pela amostra no Beira-Mar  e pelo início desta época, parece-me que a carreira do “treinador” Costinha, vai ser mais do que curta, vai ser curtinha!… )

E porque não acredito que os verdinhos de Alcochete resistam ao desgaste do outono que se avizinha ou sequer a equipas pragmáticas como o Braga e o Marítimo, prefiro uma vitória sportinguista. Quanto aos senhores que detêm a hegemonia do futebol português (em termos de capas de jornais desportivos, está claro…), será giro ver a confusão que se instalará no galinheiro com uma eventual segunda derrota em 3 jogos.

3 thoughts on “Estamos bem, obrigado.

  1. Também gostei do facto de Vieira dizer, num momento, que os adeptos têm de ultrapassar os traumas da época passada (isto é, morrer na praia em todas as competições) e, no minuto seguinte, sair-se com um fantástico “não perdemos apenas nos descontos, também sabemos ganhar nos descontos”, voltando a lembrar o trauma aos mesmos adeptos.

    Gostar

  2. Guarda! és GRANDE! LOOOOOOOL foi a gargalhada que precisava esta semana!
    LFV foi demais, tinha acabado de ganhar o único jogo à meses, aos 94 minutos e diz “temos de continuar nesta senda de vitórias” aaaaah, eu acho que é o cantar do cisne, tem mais graça quando já se está a ir embora, infelizmente… vou ter saudades…

    Pôncio és enorme, concordo em absoluto, e acrescento, esse sorriso escondido é partilhado pela maioria dos portistas, se não todos. Olho para os nossos rivais e esfrego as minhas mãos de contente, isto vai ser giro daquia uns meses, até lambo os beiços!
    E reparem que até nem estou ansioso com a Champions, noutros campeonatos estaria “epá nunca mais chega a Champions”, neste, “epá quando é jogamos contra os cabeçudos para se calarem de vez” (“cabeçudos” como quem diz Sportinguistas, Benfiquistas, Belenensistas, Fascistas… etc.)
    Quero ver o que irão dizer reporteres e pasquins quando o Porto lá para o meio tiver mostrado esta consistência, porque reparem que estamos chateados por não golear mas apenas isso, a equipa mostra sinais positivos em tudo o resto, infelizmente o Jackson pode ser “fuço” se estivermos a ganhar 3 a 0, Defour pode ficar em campo se estivermos a golear, Lucho pode estar desanimado com um resultado gordo no placar, é como jogar sem uma perna ou com o pé inchado, mesmo assim sabendo que a vitória não escapa, até dá mais graça.

    Gostar

  3. E por falar em graça, o Sporting faz-me lembrar aqueles piratas dos livros do Asterix, que quando vêm os Gauleses, grita logo lá de cima o Bruma “os Gau.. os Gau… os GAULEEESES” kabum e lá se foi o naviozinho eheheh
    Os romanos são os benfiquistas que não se fartam de levar nas trombas.
    Acho que o espírito vai bastante alto nas nossas hostes, e silenciosamente vamos caminhando para a hecatombe das euforias adversárias, venham elas de onde vierem, já passamos dois difíceis testes e com boa nota, prometendo muito, sinceramente não estou minimamente preocupado com a Champions, isto aqui dentro é que é fixe, e começou agora mesmo a aquecer 🙂

    Obrigado Deco! apesar que os meus favoritos eram Maniche, Derlei, Ricardo Carvalho, Nuno Valente, Paulo Ferreira, Baia, Jorge Costa, Costinha, Alenitchev, e Postiga, são como filhos André Pinto(ou tempo volta pra trás), é impossível escolher um ;D

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s