Adios, adieu, auf wiedersehen, goodbye…

Agora, queremos o Leonardo Jardim (por favor PC, não me faças engolir o JJ!), 2 médios decentes (um para substituir o Moutinho e outro para dar descanso ao Lucho), um lateral direito que custe menos de 19 milhões e saiba fazer um cruzamento, um avançado usável para o banco e, já me esquecia, uns patins para o Vítor Pereira.

Anúncios

12 thoughts on “Adios, adieu, auf wiedersehen, goodbye…

  1. Impressiona-me ter um tipo na equipa que custou 18 milhões e nem nas distritais tinha lugar.

    O ponto máximo da azelhice deste tipo, foi quando aos 5 min do fim, num livre perigoso, à entrada da área, beija a bola durante meia hora, está concentrado e depois chuta para casa do CRLHO!

    Este camelo nunca mais devia envergar esta camisola.

    Ganhar o campeonato este ano, significava por um lado ganhar o TRI e por outro fazer com que o Jesus fosse para o olho da rua.

    O Jesus pode ser um bronco e um cagão, mas têm dúvidas que foi com ele que o benfas se endireitou? Como negar o trabalho que realizou durante estes anos? Não se esqueçam como estava o circo antes, com Quicos Flores e outros que por lá passaram… há que dar mérito ao homem. E se querem que vos diga, não me importava muito de o ver à frente da nossa equipa. Importo-me mais ver lá a nulidade do VP.

    Gostar

  2. Como se o Vitó fosse responsável pela azelhice do Mangala, os falhanços do Jackson e as patetices do Otamendi.

    Para além de perder Atsu logo no início de jogo e não ter Moutinho.

    Sim senhor… patins para o VP. Quero ver alguém a fazer melhor. Até pago se for preciso.

    Gostar

  3. Segundo Vítor Pereira, o FCP mostrou ontem ter estofo de campeão. Ora, tenho lido muita comparação com a época passada do Benfica, mas isto são declarações dignas do Sporting, ou do ministro da informação de Saddam Hussein.

    Entendo que ele pretenda manter os jogadores motivados, mas esta não é a forma. Ridiculariza o clube e insulta a inteligência dos portistas.

    E aqui está a única pecha de Pinto da Costa no que a treinadores diz respeito: nunca acerta no momento de mudar. É sempre necessário que percam um campeonato para que PC se decida a meter-lhes uns patins. Tendo em conta a época passada, só um cego não via que o Vitinho estava fora de pé. A forma como montou e geriu o plantel esta época ficará nos anais do amadorismo, tal como a vinda do Liedson dará um episódio extra dos ficheiros secretos.

    É tempo de acabar isto com dignidade, não permitindo que o SLB venha festejar ao Dragão e ir arrumando a casa. Tenho para mim que PC já se começou a mexer desde o empate com a Olhanense e que a sua actividade acelerou depois do jogo com o Málaga. Acho eu…

    Quanto ao Vitinho, desejo-lhe uma excelente continuação de carreira nos Santas Claras deste mundo, de onde jamais devia ter saído para certa cadeira de sonho.

    Gostar

  4. De decepção em decepção, o FC Porto se vai afastando da hipótese de voltar a ser campeão.

    A equipa está em clara queda livre. É uma equipa espremida, desgastada física e animicamente, a praticar um futebol sem chama, sem inspiração, sem arte e sem ambição.

    Pior que tudo isto são as declarações do técnico, que em vez de reconhecer os defeitos, teve um discurso impregnado de falsidades, insultando de algum modo a inteligências dos adeptos.

    Se isto é ter estofo, se isto é dar tudo, então tenho que estar ainda mais preocupado, porque ainda que matematicamente seja possível chegar ao título, a verdade é que com este futebol rapidamente se verá que não passa de uma miragem.

    Um abraço

    Gostar

  5. Pentadragão:

    Na minha opinião exageras as virtudes de Jorge Jesus. Quem endireitou o Benfica foi o investimento de Isabel dos Santos.

    Jorge Jesus, na época inaugural, com uma equipa representando o maior investimento de sempre em jogadores, só ganhou o campeonato na última jornada, contra o SCBraga… Foi eliminado da Liga Europa de forma humilhante em Inglaterra, por uma invenção táctica.

    No ano seguinte, o investimento em jogadores recrudesceu ainda mais,o Benfica era favoritíssimo, todos gozavam Vilas Boas, o plantel do FCP achava-se ridículo, mas este foi o verdadeiro “annus horribilis” do Benfica, ainda que os benfiquistas prefiram bloquear a memória e invocar a época de Artur Jorge. Recordo que acabou o campeonato a 20 pontos do FCP, foi eliminado em casa para a taça pelo FCP, que virou uma vantagem de 2-0, já tinha levado 5-0 no Dragão para o campeonato com grandes culpas para invenções de Jesus, teve a humilhação de ver o FCP celebrar o título na Luz, foi eliminado nas competições europeias pelo Braga de forma vexatória, tendo o FCP acabado por ganhar esse mesmo troféu. Não sei se me esquece algo. Foi o maior falhanço de sempre da história do futebo português, tendo em conta o investimento feito. Nunca ouvi falar de uma época tão enrabante para nenhum clube em lado algum. Os coisinhos acabaram traumatizados.

    Na época seguinte, leva um baile táctico de um treinador de 2ª categoria como é VP, perdendo o campeonato no confronto directo, depois de levar 5 pontos de avanço. Mais uma vez reincidiu em opções absurdas de gestão do plantel, que deu o badagaio por alturas de Fevereiro.

    Neste ano, com um plantel mais completo, com mais opções, ganhará renhidamente. Ora, um relógio avariado dá a hora certa duas vezes por dia.

    Ter Jesus implica ter um futebol de ataque contínuo, mas bronco, defensivamente frágil, com os espaços no campo mal ocupados. Uma equipa com um bom meio campo defensivo e dois, ou três, grandes talentos no ataque destroi facilmente o esquema de jogo de JJ. É assim que se explica o sucesso de VP no confronto directo. Também implica ter um plantel caríssimo, com uma margem estreitíssima de variação de qualidade, caso contrário chega-se a 2 meses do fim do certame e anda tudo com os bofes de fora.

    Acho que não serve para a nossa situação económica, nem me parece ser grande coisa tecnicamente.

    Gostar

  6. Diga-se o que se disser os ultimos 10 jogos do FCP com o suposto DNA do VP consiste em trocar a bolas para o lado, de vez em quando por o Alex Sandro a correr, passar mais bola para o lado e depois chutar para a frente para o James ou Jackson a ver se estes fazem alguma coisa.
    Com o meio campo só as custas do pulmão do Moutinho e com a inexistência de fio de prumo de jogo, uma defesa cheia de estrelas mal entrosadas e com um Varela que está a fazer uma época em branco eis o FCP delineado pelo VP. Um simples e total desperdício de bons jogadores.

    Gostar

  7. Embora o campeonato ainda não esteja entregue, nunca estivemos tão proximos disso (mesmo assim tenho o avião reservado para o fim de semana de 12 de Maio) nem que seja para dar um puxão de orelhas a esses garotos.

    Desde que os outros empataram também na Madeira mas desta vez com o Nacional e que na maior das arrogâncias nos demos ao luxo de empatar no seguimento em casa com o Olhanense. A partir desse dia, como aconteceu no ultimo ano de Jesualdo andamos a distribuir pontos, com o auto-convencimento daqueles que dizem para eles : « somos os melhores mas isto mais cedo ou mais tarde compõe-se ». Atravessamos a fase « à nossa frente não vejo ninguém » para a seguir atravessar aquela « em Maio no Dragão mesmo com um empate somos campeões » vem em seguida a « so dependemos de nos mesmos » para agora entrarmos na « matematicamente tudo é possivel e nada esta perdido». Os jogadores comportam-se como espectadores e por isso utilizam a linguagem dos espectadores, e aqui esta um dos problemas da nossa equipa ; é obrigar os jogadores a calar e a jogar.

    Isto não é mentalidade portista é mentalidade de perdedor, de gente que não entra em campo a 100% como se esse jogo fosse de vida ou de morte. Dizer que a culpa é do treinador, e é, é o mais facil, mas todos estão no mesmo barco e o treinador é apenas um elemento importantissimo na estrutura de futebol. Culpar o homem pela situação, sim, mas por amor de deus não vamos fazer dele o bode expiatorio. Ninguém é obrigado ao impossivel e que cada um de nos da o que tem para dar, o homem não tém experiência e ser treinador do Porto com falta de experiência é muito arriscado. Lembrem-se de alguns que ca chegaram rotulados disto e daquilo como os Octavios ou os Quinitos para os mais antigos, passados poucos meses foram à vida.

    Ha que repensar a equipa e sobretudo pôr a jogar os que molham inteligentemente a camisola.

    Se eu fosse treinador a mensagem que passava la para dentro é : meninos o campeonato ardeu mas é proibido não trazer os 3 pontos do proximo jogo ; e se fosse director não recebiam mais um tostão até ao fim da época e fazer as contas no fim da época. Quanto ao JM esse ja nos custou em penaltis falhados 4 pontos, para mim desde o Panenka falhado nunca mais atirava um penalti com a camisola azul e branca.

    Eu continuo a acreditar mas parece que tem de ir tudo à bofetada

    Um abraço a todos

    Gostar

  8. Ribeiro: genial! Para compor o ramalhete hortícola só ajuntar-lhe o Octávio!

    Paulinho, certíssimo em tudo. Que o VP não tinha experiência era o óbvio ululante. Mas o Vilas Boas também não tinha e pouca levava o Mourinho. Só que o talento cheirava-se a milhas nestes dois. A sua escolha encerrava apenas um risco aparente, superficial. Esta época os jogadores têm deixado muito a desejar, mas isso só se explica por falta de liderança, porque, não obstante as deficiências de plantel, há grandes talentos em subrendimento. Na altura da sua escolha, o VP foi uma solução de recurso numa situação difícil. Esta época, pelo contrário, foi opção em consciência, suponho eu, como prémio pela conquista do título nacional. Mas ser treinador de uma equipa como o Porto não pode ser nunca uma abébia, um rebuçadinho de recompensa. E, como já disse, para se verificar que um ciclo técnico está esgotado (em português simples, ver que o treinador não dá mais), no FCP, é necessário perdermos um título nacional.

    Gostar

  9. Culpar também os jogadores e bonito, fica bem, enfim, distribui-se o mal pelas aldeias que assim a coisa não parece tão mal. Só há um problema… essa teoria não funciona!
    Os jogadores são o espelho de quem os lidera tecnicamente e o futebol que praticam é o resultado das ideias promovidas pelo treinador. Estamos conversados?
    Eu acho que o problema grave não é o estilo de jogo ou a dinâmica de posse mas sim a execução e a má execução resulta de politicas pessimamente aplicadas pelo Vítor Pereira, primeiro porque sofre de um problema de liderança, segundo porque sofre de um problema de comunicação e terceiro porque é um péssimo gestor de recursos humanos.
    No inicio da época, foram-lhe postos a disposição 5 miúdos* verdes verdinhos mas definitivamente com talento e com uma enorme margem de progressão e que competentemente trabalhados teriam sido alternativas mais do que suficientes para reparar uma ou outra lacuna devida a castigos, lesões ou abaixamentos de forma. VP não conseguiu aproveitar um único!
    Atsu, inclusivamente ameaça não renovar se não se sentir uma aposta valida no plantel! Acham mal? Eu não! O que sentirá o miúdo ao ver-se constantemente tapado por uma nulidade que nem nos seis primeiros da segunda liga tinha lugar???

    *Danilo, Kleber, Iturbe, Kelvin e Christian Atsu.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s