Vulgaridades

Depois de ver o pasquim A Bola, na primeira página, caracterizar a nossa exibição em Alvalade como vulgar, estou curioso para ver que adjetivo vão encontrar para exibição do SLB em Aveiro, hoje, contra o último classificado da Liga.

Anúncios

7 thoughts on “Vulgaridades

  1. foi por pouco que o PC era enxertado, talvez para o ano, se não o sentarem ao lado do Paulinho
    o enorme fêcêpê nem consegue ganhar à equipa C do SCP, só nós Bês carago
    não percebo a tua comparação: queres dizer que fizeste uma exibição irrepreensível?

    que o Paços seja Campeão, não há equipa a jogar mais à bola

    Gostar

  2. O FCP tem um ataque trapalhão e inócuo, quando organizado de trás, resultando num futebol suporífero, com a habitual e despropositada posse de bola ao meio campo, essa eterna peladinha kafkiana. É verdade. Mas o SCP não jogou nada, foi total demérito do FCP, mas no seu desespero de subalternização galopante e ambiente palaciano digno de telenovela mexicana, o sportinguismo agarra-se ao empate como se de um ponto de viragem se tratasse.

    Consegues ver o patético da questão, inuite? O FCP fica triste pelo atraso na luta pelo título de campeão nacional. O SCP fica alegre e assanhado porque não perdeu com uma equipa que está a 30 pontos de distância. Isto devia envergonhar os sportinguistas, que não perdem uma oportunidade para salientarem mais o ridículo da sua situação. Como portista, isto soube-me tão mal como o empate com o Olhanense. Dá boa medida da inépcia da nossa equipa e da bosta emprumada que é o SCP.

    No fim-de-semana que vem, regressa a realidade para os lados de Alvalade. O FCP na sua luta pelo título de campeão, o SCP no seu estrebuchar de negação da sua actual identidade – um clube irrelevante, mal gerido, onde pululam jogadores de duvidosa categoria e escroques de secretaria.

    Gostar

  3. André, concordo com 2 e o 3 parágrafo na integra,realmente aquilo é um misto de “feios, porcos e maus” mais o “Amarcord” juntos(não não são marcas de esparguete)
    já o teu primeiro parágrafo, pareceu me o discurso do Tino de Rãs quando tomou posse pela primeira vez, aquilo espreme-se espreme-se, mas não sai nada

    dizia eu,
    é uma questão de nível de sofrimento: eu tanto se me dá,a ti o empate deu-te para discutires com o teu namorado, e o azulado (apenas a titulo de exemplo), ficou tão furibundo, que lhe deu um ataque masoquista e quis ser empalado pelos all blacks…são escolhas

    eu já estou noutra dimensão,vejam por exemplo este belo scketch, e cultivem-se:

    Gostar

  4. Tanto se te dá, no entanto, aqui estás a comentar num blog afecto ao FCP. A isso se chama não ter sentido do ridículo.

    A julgar pelos candidatos à presidência do teu clube, aquilo parece mais o “81/2” (não, não é a medida da gaita do teu amante criolo, em polegadas) do que propriamente o “Armacord”. Mas podes continuar com as analogias de cinema realista italiano, é sempre um prazer constatar a originalidade dos desvarios lagartoides.

    Ontem, o Dias Ferreira ía-se atirando àquele pobre deficiente mental que o Benfica enviou para comentar no Dia Seguinte, da Sic Notícias. Andam tão desesperados os sportinguistas, que já perderam os normais filtros da consciência; esses que impedem um homem civilizado de agredir um portador de trissomia 21.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s