Hello, is this Laionel you’re looking for?

Em meados dos anos 80, um senhor com um penteado de meter medo às criancinhas chamado Lionel Richie cantava uma canção que causou lesões traumáticas na memória musical de muita gente. Tinha até um videoclip com uma mocinha cujas capacidades visuais eram semelhantes às do árbitro da final da Supertaça. Em suma, um drama medonho.

O início da época 2010/2011 do SLB parece um drama semelhante: tão convencidos que estavam da sua veia goleadora nos jogos a feijões e da global qualidade do seu plantel, que bastou a saída de 2 titulares da equipa que venceu o campeonato dos túneis e, pumba, perderam a Supertaça e foram derrotados em casa no seu 1º jogo da Liga Zon Sagres. Só vi os minutos finais do jogo da Luz, mas foi o suficiente para ver “a casa vir abaixo” com o golo da Académica marcado nos descontos. Já sei que o JJ diz que “massacraram” e que tiveram “azar” – não sei se foi bem assim, mas dou-lhe o benefício da dúvida. A única certeza que tenho é que o Porto perdeu o campeonato anterior à custa de azares destes e nessa altura falou-se de “falta de eficácia”… Noto também com particular alegria que se mantém o hábito do SLB jogar contra equipas em inferioridade numérica, coisa muito bonita porque é preciso manter as tradições.
O SCP encravou e, pelo que já tinha visto dos jogos com os dinamarqueses, não me surpreende: não há milagres – ninguém consegue transformar o Postiga e o Saleiro num só goleador decente e o Maniche não viaja no tempo. Aquela equipa tem muitas lacunas e se conseguir lutar pelo título aquele treinador merece uma estátua junto à Alvaláxia.
Quanto aos nossos, não apreciei a atitude da 1ª parte. Deu para ver que ninguém valorizou os rapazes da Figueira da Foz e que aquilo poderia ter corrido mal porque, com o vento a favor e fazendo o melhor que sabem, andaram perto da nossa baliza mais do que uma vez. A 2ª parte foi diferente mas não foi propriamente algo para recordar: quando a equipa melhora com a entrada do Guarin é porque as coisas estão mesmo mal. Cinzentona foi a exibição do Bellushi e do Varela, que estiveram ambos demasiado tempo em campo. Vencemos com uma grande penalidade, dirão os aziados, mas o corte com a mão que a causou existiu mesmo. É a vida.
Uma nota final: como é que o James e o Walter ainda não têm a sua situação formalmente tratada e estão impedidos de jogar? Isto é uma coisa normal ou alguém meteu água?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s