Sem alma, sem sorte e sem rasgo

O que Porto fez em Braga foi pior exibição desta época. Exactamente quando era preciso ser mais dominador, mais confiante e mais afirmativo, Jesualdo insistiu na conservadora táctica de Londres e, especialmente, na titularidade de Guarin. Só que o Braga não é o Chelsea, nem tem o meio campo de pesos-pesados da equipa de Anceloti. Manter o colombiano no 11 abdicando de um nº 10, que só poderia ser Bellushi, foi antes de mais uma demonstração de temor, de reverência, que teve consequências óbvias na atitude da equipa em campo.

Dizer que fomos dominados é falsear a verdade, mas o que é efectivamente certo é que o Braga fez mais pela vitória do que o Porto, excepção feita aos 5 minutos finais. E uma equipa que quer vencer a Liga não pode limitar-se a equilibrar o jogo, a ter tantas chances de golo quanto o adversário. Não me vou alargar em grandes considerações porque daquilo que vi só me agradou, a espaços, o trabalho do Varela, que fez mais do que os “consagrados”. O resto da equipa este mal ou simplesmente passou ao lado do jogo – Hélton não fez quase nada e não tem culpas no golo, Falcao teve uma única oportunidade e falhou -todos os outros estiverem sofríveis, com passes falhados, incapacidade de reter a bola e, no caso do Hulk, uma estúpida insistência em lances individuais condenados ao fracasso (o Braga foi mais solidário a defender e era comum ver-se o jogador do Porto que tinha a bola rodeado por 2 ou 3 adversários).
Umas palavrinhas sobre a arbitragem e sobre os comentários da SportTV: dizer que o lance entre o Alan e o Álvaro Pereira é um penalty evidente é coisa de benfiquista à paisana; dizer o contrário no lance da 2ª parte em que o Hulk caiu na área do Braga tocado por trás é só a confirmação desse clubismo. Nem um nem outro foram lances “evidentes”. Mas onde o Proença começou a influenciar o rumo do jogo foi nos cartões amarelos que muito cedo exibiu ao Hulk e ao Falcao; no caso do brasileiro, se tivesse mantido o critério de punir daquela forma todas as simulações, poucos jogadores do Braga teriam acabado o jogo.
Anúncios

9 thoughts on “Sem alma, sem sorte e sem rasgo

  1. Ainda bem que escreveram este post pq eu era para ter comentado ontem na ressaca do jogo e vcs hoje escreveram a papel quimico o que me ia na alma… que impressao me faz ver o Guarin a titular, alguem disse ao Jesualdo que ele era armador de jogo? Deve ter sido o Jose Gomes lol
    completamente ridiculas as substituiçoes, um treinador estar 90 minutos a ver o mm jogo que eu vi e nao perceber que o Hulk picado pelos jogadores do Braga, nem que estivesse a noite td com a bola nos pes conseguia um lance que lhe saisse bem, o Guarin nem um livre sabe marcar, que me lembre das bolas que levantou para a area nem uma chegou em condiçoes jogaveis. So me resta dizer que nao estou surpreendido, afinal ja sao 3 anos a ver este filme mas que por maior incapacidade dos adversarios nos tem permitido festejar no final.

    Gostar

  2. “Falcao teve uma única oportunidade e falhou”

    pois, o Farias costuma ter meia-dúzia e falha todas, prefiro ver o Falcão a jogar 90 minutos que o Farias um segundo.
    Quando o Lisandro chegou ao Porto tb não jogava os 90 minutos e não marcava em muitas oportunidades, eu sempre disse para se lhe dar tempo de jogo, o Falcão até agora não é melhor que o Lisandro(como o Jesualdo teimou em dizer), precisa de mais velocidade, mas com tempo de jogo quem sabe o que irá sair dali…

    O Álvaro Pereira, para mim, vai ser a grande revelação este ano, temos um grande defesa esquerdo.

    O Hulk não tem desculpa pelas simulações.

    Gostar

  3. Este FC Porto tem ainda um longo percurso a percorrer para se aproximar das equipas que venceram o Tetracampeonato.

    Nas quatro jornadas anteriores, a equipa deu uma imagem pálida, só abrilhantada em alguns momentos dos jogos, recordo, contra equipas de segundo plano. Com o inicio do ciclo mais complicado (Chelsea, Braga, Sporting, Atlético Madrid)os Dragões abanam, apesar da melhor exibição da época em Londres, e já levam duas derrotas consecutivas.

    Talvez a «vitória moral» tenha contribuído para o mau desempenho de Braga. Os jogadores ter-se-ão envaidecido e convencido que a equipa portuguesa seria fácil de bater.

    É naturalmente especulativo tirar tais ilações, a verdade é que não é tolerável perder um jogo em que pouco ou nada se fez para vencer, e o pouco foi sempre muito mau.

    O Professor vai necessitar de muita reflexão e apostar sem medos nos atletas que melhor rendimento lhe garantam, sem olhar a nomes ou estatutos.

    O sinal de comando pertence-lhe e não basta confessar a sua vergonha.

    Vamos a isso enquanto é tempo.

    Um abraço

    Gostar

  4. Concordo inteiramente como que referiu o Dragaopentacampeao…
    Seria difícil, para não dizer impossível, o porto repetir a exibição de Londres (que considero excelente, apesar da derrota) frente ao Braga, no espaço de uma semana. Esta é uma situação recorrente, depois de uma grande exibição segue-se uma desgraça caseira. O contrário também é verdadeiro…pelo que me leva a concluir que, genericamente, a grande maioria dos jogadores em Portugal não tem um mínimo de profissionalismo. Ou categoria… Não vi o jogo, mas provavelmente o que o Braga fez durante a semana que antecedeu o jogo, foi estudar muito bem o Porto nos seus compromissos e esperar que o Prof. Jesualdo desse a entender aos seus pupilos que este seriam favas contadas… E, por favor, que continue a dar palmadinhas nas costas do Hulk, desculpando todas as suas azelhices e mantendo-o a titular… Será um favor que fará aos restantes adversários. Saudações desportivas ao poncio e ao guardabel

    Gostar

  5. Em relação aos comentários dos assalariados do bêfique sobre os hipoteticos penaltys,diz a minha sobrinha na inocência dos seus trinta anos:É preciso ter lata!
    Lata teem esses porcos comentadores,o verdadeiro veneno do futebol em portugal!

    Gostar

  6. O problema do treinador, Pôncio, é que às vezes não dá para mandar para o banco um jogador que foi brilhante no jogo anterior!… – toda a gente endeusou o guarin… o treinador não ia ser a besta a deixá-lo no banco…às vezes a cabeça do jogador não aguenta isso (veja-se o que o mourinho fez ao quaresma…deixou o rapaz irreconhecível!..)
    além disso: a) o braga não jogou na 3ª feira anterior um jogo a 100/hora b) os jogadores do porto precisam de jogar dois jogos seguidos a 100/hora para desenvolverem capacidade física e mental…
    agora, concordo que certos jogadores escolhem a champions para brilhar e lixam-se para a liga!… é o outro lado da moeda de se vender bem… sobe-lhes à cabeça ( já acham que vão ser o próximo bom negócio…)
    enfim, às vezes estes desaires são mais benéficos que prejudiciais! assim o esperemos!

    Gostar

  7. “Talvez a «vitória moral» tenha contribuído para o mau desempenho de Braga. Os jogadores ter-se-ão envaidecido e convencido que a equipa portuguesa seria fácil de bater.”

    Dragão não acho que tenha sido essa a razão que contribuiu para o mau desempenho, o que acho é que os jogadores endeusaram-se com os elogios da imprensa, treinador, e adeptos, que esqueceram-se de um pequeno pormenor, tinham saido derrotados de Londres como tantas outras equipas portuguesas, depois dessa ilusão é fácil ver que os jogadores estavam com a cabeça noutro lugar do que com ela no jogo com o Braga, estavam a sonhar com algo que é impossível para perdedores(faz-me lembrar o Benfica).

    Sardonicus não compreendo a tua análise ao jogo de Londres, consideras um jogo exelente quando a tua equipa perde, vamos lá a ver uma coisa, o Chelsea fez mais do que o Braga para nos espetar um golo, o Braga fez um grande jogo e teve sorte no remate/cruzamento do Alan, o Chelsea teve engenho e atitude para segurar o golo fortuito do Anelka, em ambos os cenários tivemos azar, mas ainda mais importante, faltou-nos killer instinct.
    Como podemos ficar satisfeitos com um grande jogo se quando chegávamos à grande-área de Che, além de rematarmos sempre para as suas pernas(provavelmente Jesualdo pensou que esse era o seu ponto fraco), falhávamos oportunidades umas atrás das outras, foi uma boa exibição mas o futebol não é uma feira, os jogadores que o Porto vendeu todos estes anos não os vendeu na montra europeia porque fizeram boas exibições, vendeu-os porque ganhavam jogos, e com esses jogos ganhavam títulos, acredito que é bem possível o Porto repetir e melhorar a exibição de Londres, espero melhor no dia 30, o erro da atitude frente ao Braga vem de trás, quando o Jesualdo diz que ficou muito contente que os seus jogadores tenham querido ganhar mesmo que tenham perdido, não é possível corrigir erros(finalização) se se diz que está tudo bem.

    E nem todos endeusaram o Guarín.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s